Notificação do arguido

Cargo do Autor:Advogado
Autor:Helder Martins Leitão
Páginas:69-71
RESUMO

A notificação serve para chamar alguém a juízo ou dar conhecimento de um facto.

 
TRECHO GRÁTIS

A notificação serve para chamar alguém a juízo ou dar conhecimento de um facto.

Di-lo o Código de Processo Civil.

Com plena aplicação no ordenamento contra-ordenacional. O dirigente do serviço tributário competente terá que notificar o arguido do facto ou factos apurados no processo de contra-ordenação.

Sendo que, arguido é a pessoa singular ou colectiva imputada indiciariamente da autoria dos factos que integram a contra-ordenação tributária.

De relevar, desde logo, que a notificação do arguido tem que obedecer ao requisitório vertido no Código de Procedimento e de Processo Tributário.

Não fora o facto de os actos em matéria tributária que afectem os direitos e interesses legítimos dos contribuintes só produzirem efeitos em relação a estes quando lhes sejam validamente notificados.

Aliás, com nascença na Constituição da República Portuguesa - n.º 3, art. 268.º - onde se pontifica:

"Os actos administrativos estão sujeitos a notificação aos interessados, na forma prevista na lei, e carecem de fundamentação expressa e acessível quando afectem direitos ou interesses legalmente protegidos."

Portanto, duas grandes e primordiais exigências que a lei impõe: notificação e fundamentação.

E esta - quando comunicação de actos administrativos que afectem direitos ou interesses legalmente protegidos - terá que ser expressa e acessível.

Ou seja: sem deixar no notificado qualquer dúvida, em linguagem capaz de ser entendida mesmo por um leigo em matéria jurídico-tributária.

Devendo, pois, a notificação conter:

- indicação do facto ou factos apurados no processo de contra-ordenação;

- indicação da punição abstractamente aplicável à contra-ordenação;

- indicação do prazo para apresentação da defesa, incluindo elementos probatórios;

- indicação da possibilidade de pagamento antecipado da coima, incluindo prazo para tanto;

- indicação da possibilidade de pagamento voluntário, incluindo prazo para tanto.

Encurtando o requisitório:

objecto;

decisão;

fundamentação;

defesa; 117

prazo; 118

cominação. 119

Discorrendo ponto a ponto:

- quando não na própria notificação do arguido, pelo menos, no auto de notícia que, fazendo parte integrante daquela, a deve acompanhar, terão que se descrever os factos ocasionadores da instauração do processo de contra-ordenação; 120

- a punição indicada 121 é, obviamente, aquela em que poderá incorrer o infractor quando e...

Para continuar a ler

PEÇA SUA AVALIAÇÃO GRATUITA