Notas liminares

Autor:Abel Laureano
Cargo do Autor:Docente da Universidade do Porto
Páginas:11-12
Notas liminares
1. Para atalhar a quaisquer eventuais associações com situa-
ções ou factos efectivamente ocorridos, optou-se por identificar
os protagonistas destes casos práticos mediante designações
fantasiadas.
Sem menosprezar, obviamente, orientações discordes, pensa-
mos efectivamente que, desta maneira, se ceifa na raiz a contin-
gência de conexões equívocas, mostrando-se patentemente que
os cenários descritos se situam no campo das enunciações
hipotéticas.
Também temos por menos desejável identificar os menciona-
dos protagonistas segundo o clássico modelo das letras do alfa-
beto (por exemplo, o cidadão "A", o cidadão "B", o Município
"A", o Município "B", etc.). A nossa opção decorre, cristalina-
mente, da ideia de que as designações de fantasia, mais
"pitorescas" e porventura com um impacto cifrado na razão
directa do respectivo "pitoresco" (donde as nossas preferências),
cortam a monotonia e possibilitam uma mais fácil identificação
dos casos inventariados.
2. A simplificação dos casos apresentados passa por dois
vectores essenciais: de um lado, aqueles configuram-se como
uma espécie de "módulos", pois cada qual versa, tendencial-
mente, um tópico específico de matéria; do outro lado, e como
se apontou no prefácio, os esquemas de resolução apresentados
abstraem de variáveis que, susceptíveis de equacionamento (ao
jeito, de resto, da vida real), complexificariam a respectiva abor-
dagem. São imperativos decorrentes (ou tradutores) do eminente
didactismo que perpassa as presentes páginas.
11

Para continuar a ler

PEÇA SUA AVALIAÇÃO