Simulando

Páginas:19-30

Page 19

O tipo de reclamação que encabeça esta parte I, não é, como o vimos, uma reclamação propriamente configurada, estruturada, regulamentada como, v.g., a graciosa que a seu tempo será apreciada.

Mas também não se trata de algo inconsequente, inbalizável, desnormativado, não fora, aliás, a fonte que lhe assiste: o art. 66.° da LGT. 12

Aligeirando, poder-se-á dizer: é uma coisa que não é nem lá, nem cá.

Daquelas indefinições, que cabem e não em outras figurações, tão do agrado do nosso legislador.

Repetição de outros institutos espalhados nos textos legislativos, como que expiação pelo tempo no qual o contribuinte jamais se podia expressar, quanto mais defender-se.

Sempre um exagero: por pouco ou por mais.

Donde -já o leitor se apercebeu - quase tudo cabe em tão grande saco.

Sendo nesta perspectiva que pedimos ao consulente deste trabalho que entenda as simulações a seguir.

Exemplos que vão desde notificações a reclamações propriamente ditas, passando ainda pela transcrição completa de um auto de notícia.

É de notar que se inclui também um ofício solicitando à reclamante a importância necessária para remuneração de perito independente que, por acaso, na hipótese avançada não é devida, como, igualmente, o leitor terá oportunidade de ver na reacção que de pronto teve a reclamante.Page 20

DIRECÇÃO-GERAL DOS IMPOSTOS D.F. de Porto

Serviços de Finanças de PORTO 4

Ofício

Processo

Contribuinte

Sua referência Data / /

Técnico Responsável: Asdrúbal Perfeito

Exm° Senhor

Augusto & Cruz Ld.a, na pessoa

do sócio-gerente Abílio Serra

Rua Alves Redol, 37

4050 Porto

Assunto: PERITO INDEPENDENTE - REMUNERAÇÃO

Fica V. Ex.a notificado(a) para, no prazo de 5 (cinco) dias, a contar da data da presente notificação, depositar a importância de Euros 500,00, mediante guia a solicitar nestes Serviços de Finanças, de harmonia com os n.°s 1 e 2 da Portaria n.° 78/2001, de 8 de Fevereiro, para pagamento de remuneração do perito independente, por si nomeado.

O referido depósito deve ser efectuado até ao termino do prazo indicado na notificação, sob pena de não haver lugar a nomeação.

Com os melhores cumprimentos O Chefe de Finanças, por deleg. (D.R. n.° 158, de 11/07/97, II Série)

  1. Zacarias Puskas

    NOS CONTACTOS COM OS SERVIÇOS FISCAIS, MENCIONE SEMPRE O SEU NOME, NÚMERO DE CONTRIBUINTE E MORADA

    Rua GONÇALO CRISTÓVÃO 110-R/C - 4049-015 PORTO Tel.: 222081174 Fax: 222000250 Email: rf3379@dgci.min-financas.ptPage 21

    20

    RECLAMAÇÃO

    EXCELENTÍSSIMO SENHOR DIRECTOR DISTRITAL DE FINANÇAS DO PORTO

    Of. n.° _ Proc. n.°

    Augusto & Cruz, Lda, contribuinte n.°_________, com sede à Rua do Bonjardim,n.° 120 - 4000 Porto, notificada que foi para depositar a importância de Euros 500,00, de harmonia com os n.°s 1 e 2, da Portaria n.° 78/2001, de 8 de Fevereiro, para pagamento de remuneração do perito independente, vem dizer o seguinte: 13

    Contrariamente ao que se afirma no ofício em epígrafe, a contribuinte não requereu a intervenção de qualquer perito independente.

    Sendo assim, nos termos daquela mesma supra indicada disposição legal, não lhe compete proceder ao pagamento de qualquer remuneração.

    No caso de a Fazenda Pública ter nomeado perito independente, a respectiva remuneração será paga pela rubrica 02.03.10C - Outros Serviços - da dotação orçamental da D.G.I..

    Termos em que nos melhores de direito e com o suprimento de V. Ex.a, deve a notificação constante do ofício em epígrafe, ser pura e simplesmente dada como sem efeito.

    E.D.

    O Advogado,

  2. Filinto AbravezesPage 22

    PROC. N.º ____________

    Pedido de Revisão

    nos termos do art. 91.º da L.G.T.

    Filinto Abravezes, advogado nos auditórios da comarca do Porto, contribuinte n.º ____________, titular da cédula profissional n.º ____ e mandatário constituído pela firma «Sopapel, Ld.ª», contribuinte n.º ______________, com sede à Rua da Custódia, n.º 900, 4000 Porto e reclamante no processo em referência vem,

    RECLAMAR

    a V. Ex.a, do seguinte:

    Nos termos do art. 5.° do C.P.P.T., podem os interessados ou seus representantes legais conferir mandato, sob a forma prevista na lei, para a prática de actos de natureza procedimental ou processual tributária.

    Quando tal suceda e a partir da entrega nos processos do mandato, o respectivo mandatário tem sempre que ser notificado de tudo quanto ocorrer nos autos, nos termos do disposto nos arts. 253.° e 254.° do Código de Processo Civil, aplicável no âmbito tributário por força da al. e), do art. 2.° do C.P.P.T..

    O ora exponente juntou aos autos com a Reclamação apresentada em__/ /___ no

    4.° Serviço de Finanças do Porto, em nome da firma supra identificada, um regular e válido mandato (vulgo, procuração forense).

    Assim, por força dos normativos acima indicados e salvo o devido respeito, sempre teria que ser notificado do decidido sobre o Pedido de Revisão nos termos do art. 91.° da L.G.T..

    Como tal não sucedeu, vem, agora e aqui, o signatário desta, requerer que V. Ex.a ordene a sua notificação nos termos do art. 254.° do C.P.C. (ut. al. e), art. 2.° C.P.P.T.), sendo que só a partir da data dessa diligência processual se deverá iniciar o prazo para a tomada de posição que a firma «Sopapel, Ld.a» entenda adoptar.

    E.D.

    O Advogado constituído, a) Filinto AbravezesPage 23

    Direcção-Geral dos Impostos _

    Direcção de Finanças do Porto

    Ex° Senhor:

    Dr. Filinto Abravezes____

    Rua Gonçalo Cristóvão, 130 4000-267 PORTO

    V/Refs V/Data V/Proca Entrada Geral Data N/Proc.3 N.a Ofício Saída Data

    Assunto: PEDIDO DE REVISÃO NOS TERMOS DO ART 91.° DA L.G.T

    IMPOSTO: IRS/IRC/IVA

    Proc. n.°: _____/______

    NOTIFICAÇÃO

    Nos termos do art. 77.° da Lei Geral Tributária, fica V Ex.a notificado de que o pedido de revisão referenciado em epígrafe, foi decidido em ___/ / conforme fotocópia autenticada da acta de reunião n.°______, que se anexa.

    Foi fixado o...

Para continuar a ler

PEÇA SUA AVALIAÇÃO